Ementas

Disciplinas, Ementas e Cargas horárias.

Disciplinas do Núcleo Básico

Título da disciplina (1): Ambientação em Educação a Distância Carga horária
(horas)
30
Ementa

Ambiente virtual de aprendizagem; Políticas de uso; Link para arquivos; criação de pastas; criação de páginas; navegação na plataforma Moodle; Papéis; Configurações básicas de cursos; Recursos Usuários e Participantes; Noções sobre atividades avaliativas e não avaliativas; Atividades assíncronas; utilização de fóruns de discussão; Tarefas de envio de arquivos; Tarefas online; Tarefas off-line; Banco de questões e questionários; Notas; Criação de conteúdo digital; Livro; Lições; Backup; Restaurar e Reconfigurar Cursos.

Bibliografia

1. MOODLE.ORG; Moodle 3.2. Moodledocs. Disponível em: <https://docs.moodle.org/32/en/Main_page>. Acesso em: 27 mar. 2017.

2.  MANSANO NETO, J. A ocupação de espaços digitais para divulgação de tema transversal em ambiente virtual de aprendizagem na UTFPR: uma abordagem complexa. (Tese de Doutorado) Curitiba: UTFPR. Disponível em: <http://www.damec.ct.utfpr.edu.br/mansano/dr/JoaoMansano.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2017.

3.  PULINO FILHO, A. R. Moodle: Um sistema de gerenciamento de cursos. Brasília: UnB. s/d. Disponível em: <https://www4.tce.sp.gov.br/epcp/sites/default/files/manual-completo- moodle_0.pdf>. Acesso em: 27 mar 2017.

4.  SANTOS, H.; FIGUEIRA, Á.; FIGUEIRA, C. Moodle: criação e gestão de cursos online. São Paulo: FCA, 2015.

5.  SILVA, R. S. Moodle 3 para gestores, autores e tutores. São Paulo: Novatec, 2016.

Título da disciplina (2): Fundamentos de Tecnologia na Educação Carga horária
(horas)
30
Ementa

Inovação em Educação. Tecnologias aplicadas à Educação. Inovações pedagógicas ancoradas em tecnologias. Alfabetização midiática e informacional. A geração Z em sala de aula. A formação profissional docente para o uso de tecnologias. Educomunicação e educação midiática.

Bibliografia

1.  GARUTTI, S.; FERREIRA, V. L. Uso das tecnologias de informação e comunicação na educação. In: Revista Cesumar Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, v.20, n.2, p. 355- 372, jul./dez. 2015. (Disponível em http://periodicos.unicesumar.edu.br/index.php/revcesumar/article/view/3973/2712. Acesso em 12 ABR 2017.)

2.  ROCHA, K. M.; OLIVEIRA, A. L. T.; MÜLLER, J.; MENEZES JÚNIOR, J. A. M. Tecnologias educacionais em rede: desafios e possibilidades para a formação de professores. In: Revista Internacional de Aprendizaje en Ciencia, Matemáticas y Tecnología. Volumen 3, Número 2, 2016. (Disponível em http://journals.epistemopolis.org/index.php/cienciaymat/article/view/1382/929. Acesso em 12 ABR 2017.)

Título da disciplina (3): Educação Aberta e Redes de Aprendizagem Carga horária
(horas)
30
Ementa

Educação aberta: conceito, políticas educacionais, tendências e avaliação de resultados. Redes de aprendizagem e aprendizagem on-line. Bibliotecas digitais, comunidades de aprendizagem e educação aberta.

Bibliografia

1.  AMIEL, T. Educação aberta: configurando ambientes, práticas e recursos educacionais. Bianca Santana; Carolina Rossini; Nelson De Lucca Pretto (Org). Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas políticas públicas. Salvador: Edufba; São Paulo: Casa da Cultura Digital. 2012. Disponível em <http://www.artigos.livrorea.net.br/2012/05/educacao- aberta-configurando-ambientes-praticas-e-recursos-educacionais>.

2.  BARROS, D. M. V. et al. Educação e tecnologias: reflexão, inovação e práticas. E-book. Lisboa: [s.n.], 2011. Disponível em <http://livroeducacaoetecnologias.blogspot.com.br/> . Acesso em 04 abr 2017.

3.  BATES, A. W. (Tony). Tendências em Educação Aberta. Educação na era digital: design, ensino e aprendizagem. São Paulo: Artesanato Digital, 2016, p. 421-450 (Tradução de Claudio Cleverson de Lima).

4.  HARASIM, L. et al. Redes de aprendizagem: um guia para o ensino e aprendizagem on-line. São Paulo: Editora SENAC, 2005.

5.  IIYOSHI, T.; KUMAR, M. S. V. Educação Aberta: o avanço coletivo da educação pela tecnologia, conteúdo e conhecimentos abertos. São Paulo: UNIP/ABED, 2008.

Título da disciplina (4): Internet e Educação Carga horária
(horas)
30
Ementa

Internet e Educação. O uso da internet em sala de aula. Nativos e Imigrantes Digitais. Técnicas de Pesquisas na Internet. Desenvolvimento de WebQuest. Repositórios de Softwares Educacionais e Objetos de Aprendizagem. Redes Sociais na Educação.

Bibliografia

1.  FRAGOSO, S.; RECUERO, R.; AMARAL, A. Métodos de Pesquisa para a Internet. São Paulo: Editora Sulina, 2011.

2.  LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Tradução de Carlos Irineu da Costa, do original francês publicado em 1990. São Paulo: Editora 34, 1993.

3.  MORAN, J. M. Como utilizar a internet na Educação. Revista Ciência da Informação. V. 26, n. 2. Brasília, 1997. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-19651997000200006

4. PRENSKY, M. Nativos Digitais, Imigrantes Digitais. Tradução do artigo “Digital natives, digital immigrants”. On the Horizon, NCB University Press, v. 9, n. 5, out. 2001.

5. SOUZA, C. H. M. de; GOMES, M. L.M. Educação e Ciberespaço. Brasília. Editora Usina Letras, 2009.

Título da disciplina (5): Mediação Pedagógica e Tecnológica na Educação Carga horária
(horas)
30
Ementa

Interação, interatividade, mediação e cognição. Mediação pedagógica. Usos da tecnologia. Tecnologias e alterações no espaço e tempo de ensinar e aprender. Das salas de aula aos ambientes virtuais de aprendizagem. Do ensino interativo as comunidades de aprendizagem.

Bibliografia

1.  CATAPAN, A. H. Mediação pedagógica diferenciada. In: ALONSO, K. M.; RODRIGUES, R. S.; BARBOSA, J. G. (Org.). Educação à distância: práticas, reflexões e cenários plurais. Cuiabá: EdUFMT, 2009.

2.  DALLABONA, C. A; RONCARELI, D.; COSTA, J. W. Metamediação em educação a distância: implementação no curso de gestão e docência em EaD. In: BUSARELLO, Raul I; BIEGING, Patricia; ULBRICHT, Vania R. Sobre Educação e Tecnologia: processos e aprendizagem. São Paulo: Pimenta Cultural, 2015.

3.  KENSKI, Vani Moreira. Educação e Tecnologias: o novo ritmo da informação. Campinas: Papirus, 2012.

4.  MACHADO, M.; FERREIRA, S. M. B.; AQUINO, V. A mediação pedagógica à luz do pensar complexo: uma análise comparativa da aula em ambiente virtual e presencial. Revista Digital da CVA – Ricesu, v. 6, n. 23, p. 1-10, jul. 2010.

5.  MORAN, J.; MASETTO, M.T; BEHRENS, Marilda A. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2013.

Título da disciplina (6): Pesquisa em Inovação e Tecnologia Carga horária
(horas)
30
Ementa

A investigação científica e os paradigmas da pesquisa em educação. Tendências em pesquisa qualitativa em educação. A organização de projetos de pesquisa em educação. Inovação e ousadia criativa em pesquisas em educação.

Bibliografia

1.  CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

2.  D’AMBRÓSIO, B. S.; LOPES, C. E. (orgs.). Vertentes da subversão na produção científica em educação matemática. Campinas: Mercado de Letras, 2015.

3.   FIORENTINI, D.; LORENZATO, S. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006.

4.  GAMBOA, S. S. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2012.

5.  WELLER, W.; PFAFF, N. (orgs.). Metodologias da pesquisa qualitativa em educação: teoria  e prática. Petrópolis: Vozes, 2010.

H1 – Habilitação em Gestão e Inovação na Administração Escolar

Título da disciplina (7): Gestão Tecnológica na Escola Carga horária
(horas)
30
Ementa

Tecnologias na Educação. Dificuldades na implementação de projetos inovadores de ensino-aprendizagem com tecnologias. Levantamento qualiquantitativo dos artefatos tecnológicos presentes na escola. Gestão de projetos de aperfeiçoamento tecnológico da escola.

Bibliografia

1.  ALBINO, R.; SOUZA, C. A. Avaliação do nível de uso das TICs em escolas brasileiras: uma exploração dos dados da pesquisa “TIC Educação”. In: E&G Economia e Gestão, Belo Horizonte, v. 16, n. 43, Abr./Jun. 2016. (Disponível em http://periodicos.pucminas.br/index.php/economiaegestao/article/view/P.1984- 6606.2016v16n43p101/9930. Acesso em 12 ABR 2017.)

2.  MORAN, J. M. Gestão inovadora da escola com tecnologias. In: VIEIRA, Alexandre (org.). Gestão educacional e tecnologia. São Paulo, Avercamp, 2003. (Disponível em http://www.eca.usp.br/prof/moran/site/textos/tecnologias_eduacacao/gestao.pdf. Acesso em 12 ABR 2017.)

3.  OLIVEIRA, L. C.; OLIVEIRA, E. C.; SILVA, K. A.; REIS, L. P.; PAES LEME, M. P. B. Usando os Apps Google na gestão pedagógica de escola pública. In: Anais do Simpósio Internacional de Educação à Distância e do Encontro Nacional de Pesquisadores  em  Educação  à Distância. 8 a 27 de setembro de 2016. (Disponível em <http://www.sied- enped2016.ead.ufscar.br/ojs/index.php/2016/article/view/2001/732>. Acesso em 12 ABR 2017.)

4.  SILVA, J. F.; CONCEIÇÃO, S. S. da; SCHNEIDER, H. N. Gestão tecnológica educacional: preservar ou inovar? In: Anais  do X  Encontro Internacional de Formação de Professores e  do XI Fórum Permanente Internacional de Inovação Educacional, 2016. (Disponível em <https://eventos.set.edu.br/index.php/enfope/article/view/2070/555>. Acesso em 12 ABR 2017.)

5.  SOARES, N.; ALMEIDA, C.; SARAIVA, J. Inovações tecnológicas em escolas públicas: análise de fatores motivadores. In: Anais do V Congresso Brasileiro de Informática na Educação, 2016 e do XXII Workshop de Informática na Escola, 2016. (Disponível em <http://br-ie.org/pub/index.php/wie/article/view/6647/4558>. Acesso em 12 ABR 2017.)

Título da disciplina (8): Sistemas de Informação na Gestão Escolar Carga horária
(horas)
30
Ementa

Da sociedade da informação a sociedade em rede. Gestão da informação. Sistemas de apoio às decisões, sistemas especialistas, sistemas AVEA. Sistemas de informações: tipos, modelos e arquitetura. Sistemas de informação gerenciais, conceitos e características. Implantação, gerência e segurança de sistemas de informação. Sistemas de informação para Gestão Educacional.

Bibliografia

1.  ALONSO, M. A gestão/administração educacional no contexto da atualidade. Alexandre Thomaz Vieira, Maria Elizabeth Bianconcini de Almeida e Myrtes Alonso (Orgs.). In: Gestão educacional e tecnologia. São Paulo: Avercamp, 2003a. p. 23-38.

2.  CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

3.  LAUDON, K.C.; LAUDON, J. P. Sistemas de Informação Gerenciais. 9. ed. São Paulo: Person/Prentice Hall, 2011.

4.  OLIVEIRA, D. P. R. Sistemas de informações gerenciais. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

5.  VIEIRA, A. T.; ALMEIDA, M. E. B.; ALONSO, M. (Org.) Gestão Educacional e Tecnologia. São Paulo: Avercamp, 2003.

Título da disciplina (9): Planejamento, Currículo e Inovação. Carga horária
(horas)
30
Ementa

Planejamento. Tipos de planejamento. O planejamento educacional. Inovação. Inovação educacional. Inovação nas escolas. Currículo. Construção e realização. Políticas de integração. Tecnologia e ferramentas educacionais. Planejamento curricular. Gestão Financeira. Inova curricular. A relação entre teoria e prática.

Bibliografia

1.  GARCIA, W. E. Inovação Educacional no Brasil: problemas e perspectivas. São Paulo: Autores Associados. 1995.

2.  LOPES, A.; MACEDO, E. (orgs). Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

3.  MASETTO, M. T. (Org.) Inovação no ensino superior. São Paulo: Loyola, 2012.

4.  SANCHO, J. M. et. al. Aprendendo com as inovações nas escolas. Porto Alegre: Artmed, 2000.

5.  SENGE, P. Conduzindo organizações voltadas para o aprendizado: o destemido, o poderoso e o invisível. In: HESSEMBEIN, F; GOLDSMITH, M.; BECKHARD, R. (orgs) O líder do futuro. São Paulo: Futura, 1996, p.121-125.

Título da disciplina (10): Gestão de Comunicação e marketing Digital Carga horária
(horas)
30
Ementa

O ambiente da comunicação e do marketing: do tradicional ao digital, o offline e o online, possibilidades, interfaces e complexidades. Estratégias digitais e suas variáveis. A criação digital na Era do Marketing de Conteúdo. O consumidor digital, suas experiências (UX) e expectativas. Comportamento do consumidor na internet. Interação e convergência na Era da Conexão. Principais plataformas, ferramentas e táticas. A marca na web e os desafios contemporâneos do branding. Discussão e apresentação de cases digitais. Compreensão do ambiente de negócios, a elaboração de ações estratégicas com foco no ambiente digital e o desenvolvimento profissional do gestor.

Bibliografia

1.  BARGER, C. O estrategista em mídias sociais. DVS Editora, 2013.

2.  GABRIEL, M. Marketing na era digital: conceitos, plataformas e estratégias. Novatec Editora, 2010.

3.  JENKINS, H.; FORD, S. GREEN, J. Cultura da conexão. São Paulo: Aleph, 2014.

4.  LONGO, W.. Marketing e comunicação na era pós-digital: as regras mudaram. Casa Educação-(Casa Educação Soluções Educacionais LTDA), 2015.

5.  SCOTT, D. M. Marketing e Comunicação na Era Digital – Fale Diretamente Com o Cliente! Editora Évora, 2015.

Título da disciplina (11): Legislação Educacional no Contexto Tecnológico Carga horária
(horas)
30
Ementa

Sociedade, Estado, Educação e Tecnologias. A legislação educacional brasileira, sua construção, sua aplicabilidade e suas inter-relações com as Políticas Públicas. Diretrizes e regulamentações das Tecnologias da Informação e Comunicação na educação.

Bibliografia

1.  KENSKI, V. M. Educação e tecnologias: O novo ritmo da informação. 3. ed. Campinas, SP: Papirus, 2008.

2.  LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F.; TOSCHI, M. S. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização. 10 ed. São Paulo: Cortez, 2012. Coleção Docência em Formação.

3.  MORAN, J.; MASETTO, M.; BEHRENS, M. A. Novas tecnologias e Mediação Pedagógica. Campinas, SP: Papirus, 2013, 21ª ed. (Coleção Papirus Educação).

4.  OLIVEIRA, O. S.; PEREIRA, S. M.; DRABACH, N. P. (orgs). Políticas e Gestão da Educação: olhares críticos em tempos sombrios, Curitiba, UTFPR Editora, 2016.

Título da disciplina (12): Gestão da Qualidade e Inovação na Educação Carga horária
(horas)
30
Ementa

Qualidade na Educação – pressupostos, conceitos e políticas públicas; Inovação na Educação – pressupostos, conceitos e formas de aplicação; Aspectos fundamentais da qualidade e inovação na educação – legislação e execução pedagógica; Pensamento Sistêmico e Sustentabilidade na Educação; Dimensões da Qualidade e Inovação na Educação; Qualidade na Educação, Inovação e o PPI; Qualidade na Educação, Inovação e a Gestão Escolar; Métodos, Técnicas e Ferramentas da Qualidade aplicadas na Educação; Indicadores Quantitativos e Qualitativos na Gestão Escolar; Sistemática de Avaliação e Acompanhamento da Qualidade e Inovação na Educação.

Bibliografia

1.  ANDRADE, R. C. A Gestão da Escola. Porto Alegre/Belo Horizonte : Artmed/Rede Pitágoras, 2004.

2.  CALDEIRA, J. 100 indicadores na Gestão. Lisboa, Editora Actual, 2013

3.  FAVA, R. Educação 3.0. São Paulo: Saraiva, 2014.

4.  MASSETO, M. Inovação no Ensino Superior. São Paulo, Edições Loyola, 2012.

5.  SETUBAL, M. A. Educação e Sustentabilidade: princípios e valores para a formação de educadores. São Paulo: Peirópolis, 2015.

 

H2 – Habilitação em Metodologias Inovadores na Educação

 

Título da disciplina (13): Gamificação na Educação Carga horária
(horas)
30
Ementa

Gamificação: definições, exemplos e considerações importantes; Games: o que são jogos e suas características básicas; Design de games e etapas e métodos de trabalho; Gameficação com o GeoGebra; Gameficação com o Scratch.

Bibliografia

1.  KAPP, K. M. The Gamification of learning and instruction: Game-based methods and strategies for training and education. Pfeiffer. Hoboken, NJ, 2012.

2.  NETTO, M. Aprendizagem na EaD, mundo digital e ‘gamification’. In Fadel, L. M. et al. (Org.). Gamificação na Educação. São Paulo, Pimenta Cultural, 2014.

3.  ROLLINGS, A.; ADAMS, E. Game design and development: fundamentals of game design. New Jersey, Prentice Hall, 2006.

4.  SALEN, K.; ZIMMERMAN, E. Regras do Jogo. São Paulo: Blucher, v. 1, 2012.

5.  SILVEIRA, C. A. (2012). Modelo de análise para gamificação em redes sociais. Dissertação de Mestrado em Design, 2012. Universidade Federal de Pernambuco, 2012.

Título da disciplina (14): Curadoria Digital e Recursos Educacionais Abertos Carga horária
(horas)
30
Ementa

Letramento digital. Curadoria digital de conteúdo: procurar, refletir, compartilhar. Ferramentas de Curadoria. Recursos Educacionais Abertos: utilização, produção e licenciamento.

Bibliografia

1.  BAILIE, H. Curation as a tool for teaching and learning. Creative Commons. Disponível em <https://storify.com/hbailie/curation-as-a-tool-for-teaching-and-learning-1>. Acesso em 04 abr 2017.

2.  LOPES, D. Q. ; SOMMER, L. H.; SCHMIDT, S. Professor-propositor: a curadoria como estratégia para a docência on-line. Educação & Linguagem, v. 17, n. 2 , 54-72 ,jul.-dez. 2014. Disponível em <http://eco.imooc.uab.pt/elgg/file/download/54932> . Acesso em 20 jan 2017.

3.  MARTINS, M. C. (coord.). Curadoria educativa: inventando conversas. Reflexão e Ação – Revista do Departamento de Educação/UNISC – Universidade de Santa Cruz do Sul, vol. 14, n.1, jan/jun 2006, p.9-27. Disponível em < > . Acesso em 4 abr 2017.

4.  SANTANA , B.; ROSSINI , C.; PRETTO , N. De Lucca. Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas políticas públicas (Organizadores). Salvador: EDUFBA; São Paulo: Casa da Cultura Digital. 2012. Disponível em <http://www.livrorea.net.br/livro/livroREA-1edicao-mai2012.pdf>. Acesso em 20 jan 2017.

5.  SIEBRA, S. A.; BORBA, V. R.; MIRANDA, M. K. F. O. Curadoria Digital: um termo interdisciplinar. XVII ENANCIB, 2016. Disponível em <http://www.ufpb.br/evento/lti/ocs/index.php/enancib2016/enancib2016/paper/view/4107/2559>. Acesso em 02 abr 2017.

Título da disciplina (15): Tecnologias Móveis em Sala de Aula Carga horária
(horas)
30
Ementa

Tecnologias Móveis. Aprendizagem móvel e ubíqua. Diretrizes políticas para aprendizagem móvel. Avaliação de aplicativos para utilização no contexto escolar. Desenvolvimento de Aplicativos no AppInventor.

Bibliografia

1.  BORBA, M. C.; SILVA, R. S.; GADANIDIS, G.  Fases  das  tecnologias  digitais  em Educação Matemática: Sala de aula e internet em movimento. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

2.  FREITAS, M. T. A. A formação de professores diante dos desafios da cibercultura. In: FREITAS, M. T. A. (Org.). Cibercultura e formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 57-74.

3.  SACCOL A SCHLEMMER E.; BARBOSA J. m-learming e u-learning – novas perspectivas da aprendizagem móvel e ubíqua. São Paulo: Pearson, 2011.

4.  UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Diretrizes de políticas para Aprendizagem Móvel. 2013. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002277/227770por.pdf>

5.  WOLBER, D. App Inventor 2: create your own Android Apps. Estados Unidos: Editora Oreilly & Assoc. 2014.

Título da disciplina (16): Realidade Aumentada na Educação Carga horária
(horas)
30
Ementa

Novas Tecnologias na Educação e Ambientes Colaborativos. Introdução a Realidade Virtual e Aumentada (histórico, fundamentos e aplicações). Imagens conceituais como vetor de potência para a apropriação cognitiva. Conceitos sobre interação, interface e navegação. Linguagem para modelar ambientes virtuais (primitivas geométricas; Transformações; Animações; Iluminação; Formas geométricas; Elementos complementares). Realidade Aumentada móvel. Contribuições da Realidade Aumentada em sala de aula. Técnicas de interação para ambientes de Realidade Aumentada. Técnicas utilizadas em Realidade Aumentada: Modelagem e visualização 3D. Estudos de casos e desenvolvimento.

Bibliografia

1. BEHRINGER, R. et al. Augmented Reality: Placing Artificial Objects in Real Scenes. A K Peters Ltd, 1999.

2. BORBA, M.C; PENTEADO, M.G. Informática e Educ Matemática. Coleções: Tendências em educação matemática. 5ª edição. Autêntica Edit 2015.

3. CARDOSO, A; KIRNER, C; LAMOUNIER, E; KELNER, J. Tecnologias para o desenvolvimento de sistemas de realidade virtual e aumentada.

4. CAWOOD S. Augmented Reality: A Practical Guide. Pragmatic Bookshelf. 2008.

HALLER M. Emerging Technologies of Augmented Reality: Interfaces and Design. IGI. 2006.

5. KIRNER, C.; SISCOUTTO, R. Realidade Virtual e Aumentada: Conceitos, Projeto e Aplicações. Petrópolis – RJ, Livro do Pré-Simpósio, IX Symposium on Virtual Reality. Editora SBC – Sociedade Brasileira de Computação, 2007.

Título da disciplina (17): Lousa Digital no Contexto Educacional Carga horária (horas) 30
Ementa

A Lousa Digital e suas especificidades no Ensino de Matemática. As relações entre as Lousas Digitais e os Objetos de Aprendizagem. Os diferentes tipos de lousas digitais e algumas possibilidades de uso nos ensinos Fundamental e Médio.

Bibliografia

1.  BORBA, M. C.; SCUCUGLIA, R. R. S.; GADANIDIS, G. Fases das Tecnologias Digitais em Educação Matemática: sala de aula e internet em movimento. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2014.

2.   KALINKE. M. A.; MOCROSKY, L. F. (org). A Lousa Digital e outras tecnologias na Educação Matemática. Curitiba: Editora CRV, 2016.

3.  NAKASHIMA, R. H. R.; AMARAL, S. F. A Linguagem Audiovisual da Lousa Digital Interativa no contexto educacional. ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v.8, n.1, p. 33-50, dez. 2006 – ISSN: 1676-2592

4.  NAKASHIMA, R. H. R. A linguagem interativa da Lousa Digital e a Teoria dos Estilos de Aprendizagem. Dissertação de Mestrado, 2008. Campinas – SP, 2008.

5.  FITAS, E. S.; COSTA, C. Quadros Interactivos: relato de investigações realizadas no âmbito do ensino e aprendizagem da Matemática. Disponível em: <http://paginapessoal.utfpr.edu.br/kalinke/gptem/grupos-de-pesquisa/pdf/2015/quadros%20interativos.pdf>

Título da disciplina (18): Mundos Virtuais e Web 2.0 Carga horária
(horas)
30
Ementa

Web 2.0 x Web 1.0; Produção de conteúdo para web; Redes Sociais x Softwares Sociais; Interação e colaboração em redes online.

Bibliografia

1.  BARANAUSKAS, M. C. C.; MARTINS, M. C.; VALENTE, J. A. Codesign de redes digitais: tecnologias e educação a serviço da inclusão social. Porto Alegre: Penso, 2013.

2.  BARRABÁSI, A.L. Linked: A nova ciência dos networks. Tradução de Jonas Pereira dos Santos. São Paulo: Leopardo Editora, 2009.

3.  BEZERRA, B. G.; LÊDO, A. C. D. O.; PEREIRA, S. V. M. P. Práticas discursivas em EAD: reflexões e aplicações. Recife: Editora Universitária UFPE, 2013.

4.  FILATRO, A. Design instrucional na prática. São Paulo: Pearson, 2008.

5.  VIEIRA PINTO, Á. O conceito de tecnologia. Rio de Janeiro: Contraponto, v. I, 2005.

 

H3 – Habilitação em Produção de Recursos Tecnológicos em Sala de Aula

Título da disciplina (19): Produção de Objetos de Aprendizagem Carga horária
(horas)
30
Ementa

Compreensões gerais sobre os objetos de aprendizagem de Matemática e sua inserção em atividades pedagógicas. A criação e o desenvolvimento e o uso de objetos de aprendizagem de Matemática nos ensinos Fundamental e Médio.

Bibliografia

1.  GRAVINA, M. A. et al. Matemática, mídias digitais e didáticas: tripé para formação de professores de matemática. Porto Alegre: Evangraf, 2012

2.  GRAVINA, M. A.; SANTAROSA, L. M. A aprendizagem da matemática em ambientes informatizados. 1998. Disponível em:<http://seer.ufrgs.br/InfEducTeoriaPratica/article/view/6275/3742>. Acesso em: 13 fev. 2015.

3.  KALINKE. M. A.; MOCROSKY, L. F. (org). A Lousa Digital e outras tecnologias na Educação Matemática. Curitiba: Editora CRV, 2016.

4.  PRATA, C. L. et al. Objetos de aprendizagem: uma proposta de recurso pedagógico. Brasília: MEC, SEED, 2007.

5.  PORTO, C. et al. Pesquisa e mobilidade na cibercultura: itinerâncias docentes. Salvador: Edufba, 2015.

Título da disciplina (20): Desenvolvimento de Aplicativos Educacionais. Carga horária
(horas)
30
Ementa

Tecnologias Móveis em sala de aula. Aprendizagem móvel e ubíqua. Desenvolvimento de aplicativos utilizando o App Inventor. Análise de aplicativos educacionais disponíveis em IOS e Android.

Bibliografia

1.  BORBA, M. C.; SILVA, R. S.; GADANIDIS, G.  Fases  das  tecnologias  digitais  em Educação Matemática: Sala de aula e internet em movimento. Belo Horizonte: Autêntica, 2015.

2.  FREITAS, M. T. A. A formação de professores diante dos desafios da cibercultura. In: FREITAS, M. T. A. (Org.). Cibercultura e formação de professores. – Belo Horizonte: Autêntica, 2009. p. 57-74.

3.  SACCOL A.; SCHLEMMER E.; BARBOSA J. m-learming e u-learning – novas perspectivas da aprendizagem móvel e ubíqua. São Paulo: Pearson, 2011.

4.  UNESCO. Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Diretrizes de políticas para Aprendizagem Móvel. 2013. Disponível em: <http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002277/227770por.pdf>

5.  WOLBER, D. App Inventor 2: create your own Android Apps. Estados Unidos: Editora Oreilly & Assoc. 2014.

Título da disciplina (21): Desenvolvimento de softwares para atividades educacionais. Carga horária
(horas)
30
Ementa

Informática na educação. Softwares educacionais. Métodos, técnicas e ferramentas de desenvolvimento. Concepção, análise de viabilidade, seleção do tipo de documento, seleção do método de autoria, planejamento da interface, planejamento do documento, seleção do sistema de autoria e de ferramentas, implementação, avaliação, validação.

Bibliografia

1. BENITTI, F B V; SEARA, E F R; SCHLINDWEIN, L. M. Processo de desenvolvimento de software educacional: proposta e experimentação. In: Novas Tecnologias na Educação. CINTED/UFRGS. Vol 3 num 1. Mai 2005.

2.  LEMOS, A. Cibercultura. Alguns pontos para compreender a nossa época. In: LEMOS, A., CUNHA, P. Olhares sobre a cibercultura. 1. Ed. Porto Alegre: Sulina, 2003.

3.  PRESSMAN, R. S. Engenharia de Software. 6ª edição, McGraw-Hill, 2006.

4.  SOMMERVILLE, I. Engenharia de Software. 6. ed. São Paulo: Pearson Education do Brasil, 2003.

5.  TREBIEN, E.S.E. Software educacional: modelo de desenvolvimento. União da Vitória: Face, 2003.

Título da disciplina (22): Produção de Materiais Didáticos e Recursos Educacionais Abertos Carga horária
(horas)
30
Ementa

Impacto na mudança da lógica de produção de materiais para a lógica de acompanhamento ao aluno. A produção de materiais e os projetos educacional e instrucional de curso. Características do projeto educacional de curso. Características do projeto instrucional de curso. O estado da arte na produção de materiais didáticos em multimídia. O surgimento dos REA. Questões de plagiarismo e o surgimento dos REA O estado da arte nos REA. Exemplo prático de curso desenvolvido com o uso de objetos de aprendizagem.

Bibliografia

1.  MUNHOZ. A. S. Projeto Instrucional. São Paulo: CENGAGE, 2016.

2.  MUNHOZ, A. S. Aprendizagens ativas com uso das tecnologias. Curitiba: Editora Intersaberes, no prelo: 2017. (Atualmente uma cópia draft está disponível em www.antoniosmunhoz.com.br/arquivos/aprendizagensativascompleto.pdf exclusivamente para os alunos do curso).

3.  POSSARI, M. H. V. e NEDER M.L.C. Material didático para EaD: processo de produção. Online. 2009 [internet[. Disponível em http://www.uab.ufmt.br/uab/images/livros_download/material_didatico_para_ead_processo_de_ producao.pdf. Acessado em abril de 2017.

4.  SANTANA, B. ROSSINI CAROLINA e PRETTO, N de L. Recursos Educacionais Abertos práticas colaborativas e políticas públicas. Online. 2012 [internet]. Disponível em http://www.livrorea.net.br/livro/livroREA-1edicao-mai2012.pdf. Acessado em abril de 2017.

5.  ZAIB, J. e GRIBBLER, J. Manual de Coaching Educacional. São Paulo. Editora Leader, 2013.

Título da disciplina (23): Produção de Cursos Online (MOOCs) Carga horária
(horas)
30
Ementa

O que é MOOC. Tipos de MOOC. MOOC e a aprendizagem personalizada. MOOC mudando a prática pedagógica. Design para MOOC.

Bibliografia

1.  BATES, A. W. (Tony). MOOCs. Educação na era digital: design, ensino e aprendizagem. São Paulo: Artesanato Digital, 2016 , PP . 209-244 (Tradução de Claudio Cleverson de Lima).

2.  CHEAL, C. Creating Moocs for college crediting. (Research Bulletin) Louisville, CO: EDUCAUSE Center for Analysis and Research. 14 August 2013. Disponível em <https://library.educause.edu/resources/2013/8/creating-moocs-for-college-credit-sjsus- partnership-with-edx-and-udacity> . Acesso em 02 abr 2017.

3.  INUZUKA, M. A.; DUARTE, M. A. Produção de REA apoiada por MOOC, In: SANTANA , B.; ROSSINI , C.; PRETTO , N. De L. Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas políticas públicas (Organizadores). Salvador: EDUFBA; São Paulo: Casa da Cultura Digital. 2012. Disponível em <http:// www.livrorea.net.br/livro/livroREA-1edicao-mai2012.pdf>. Acesso em 20 jan 2017.

4.  MAGGIO, L. ; SALTARELLI , A.; STRANACK, K. Crowdsourcing the Curriculum: A MOOC for Personalized, Connected Learning. March 21, 2016 . Disponível em http://er.educause.edu/articles/2016/3/crowdsourcing-the-curriculum-a-mooc-for-personalized-connected-learning> . Acesso em 02 abr 2017.

5.  SILVEIRA, L. F.; SCORTEGAGNA, L. Análise de modelos de Design Instrucional para MOOC na educação financeira escolar. VII EMEM, outubro 2015. Disponível em: http://www.ufjf.br/emem/programacao/comunicacoes-cientificas/cc-textos-completos/> Acesso em 04 abr 2017.

Título da disciplina (24): Produção e Edição de Vídeos na Educação Carga horária
(horas)
30
Ementa

Novas Tecnologias na Educação e Ambientes Colaborativos. O Vídeo como vetor de potência para a apropriação cognitiva. Editoração. Produção de Vídeo. Áudio. Argumento e Roteiro. Aspectos Técnicos do Vídeo e do Tratamento Digital. Internet. Concepção Visual e Sonora para Multimídia. Estudos de casos e desenvolvimento.

Bibliografia

1.  ARMES, R. On Video: O Significado do Vídeo nos Meios de Comunicação. Editora Summus: 1999.

2.  CARMONA, T. Desvendando o áudio e vídeo digital. Digerati Books: 2004

3.  DANCYGER, K. Técnicas de Edição para Cinema e Vídeo: Historia Teoria e Prática. Editora Campus: 2009

4.  PIZZOTTI, R. Enciclopédia Básica de Mídia Eletrônica. São Paulo: Senac São Paulo. 2003.

5.  WOHLGEMUTH, J. Vídeo Educativo. Senac DF. 1ª Edição.2005.